Considerações aos leitores.

Uma janela de minha vida está aqui, nada mais é que uma simples forma de expressão. Poesias e momentos atuais serão postados. As portas estão abertas para todos vocês.


Muito grato pela visita.



Rafael Echeverria.


quarta-feira, 7 de abril de 2010

QUITA-ME.

No pienses en oir, no pienses en volver.
Pienses en ir mirar y aprovechar.
Dios mio que haras?
Un beso me quitaras.

SUSPIRA EM MIM.

Imensamente como o sol, estupidamente a sombra da lua.
Sofrido como a solidão vento, incorporado como a terra.
Os sabores daqueles lábios pesados suspiraram em cima de mim, minha bela.
O preferido dos dias coloridos, a mim já não mais interessa.

DEIXOU.

Menina que Deus se apega, procura em mim deseja das trevas.
Descobre um ninho, de defesa com manivela.
Incorpora em si, estupidez maquiavélica.
Deixou de se apoiar em mim, seus dias se passam na nevoa.

ANJO MEU.

Anjo meu, reforça o poder que já se perdeu.
Anjo teu, deposita o valor que foi meu.
Todos os dias sorriem pra mim, teu filho não será meu.
Esqueci você de mim, talvez algum dia tenha sido teu.

NEM TANTO.

Ah! Senhorita… Saudades sua, já não tenho tanto.
Esperei por você, chorei ate os prantos.
Briguei ate morrer, me encontro delirando.
Viverei ate saber, que já não tens o meu encanto.

PASSA ENTÃO.

Imagino como seria acordar e ser sempre feliz.
Encontrar uma maneira de não impedir.
Os sistemas irracionais iguais de uma atriz.
O impetuoso olhar de aprendiz.

È ela quem diz.
Diz o que? Pra que?
Se meu dia hoje ao entardecer... Não vai ser com você!
Que mula! Que chata! Que desperdício de bem dizer...

O quanto eu sou parecido com você.
O quanto imaginei deixar de te perder.
Ou ouvir seu sussurro pra vim dizer.
Não preciso mais de você.

Mas algum dia, teremos todos que aprender.
Que o dia nasce pra logo descer.
Que o vento sopra, e depois desaparecer.
Que a terra molha, secando até marrom parecer.

Que o fogo apaga, sem mais se ver.
Que a lua desaparece, ate o dia amanhecer.
Procuro soluções, que jamais irão aparecer.
Vi uma tremenda imensidão.

Esperado de muita emoção.
Acredito sim paixão.
Que meu apego a ti chegou e não tem volta não.
Entendi o que quis dizer.
Sinto muito, agora eu não vou mais não.

APESAR DE TUDO.

Apesar de tudo, reparo muito bem o meu futuro.
Apesar de nada, ando perdido pela estrada.
Apesar de você, como mestre Chico recitou, amanha a de ser outro dia.
Apesar de viver, até agora muito bem já viveria.

Que bom que a vida não me mataria.
Que pena è o destino que escolheria.
Entendo o quanto o tempo faz bem.
Pra quem algum dia pensou em não ter mais ninguém.

Viajei e viajei. Peguei e me re-estruturei.
Olha só aqui, tudo aquilo que guardei.
Apesar de tudo isso, eu acordei.
Apesar de nada, não mais eu serei.

Apesar de você, inventar algo tentará.
Apesar de viver, uma planta bem forte eu serei.
Apesar dos pesares, agora já me cansei.
Vem pra casa logo, aqui te amarei!

CIELITO.

Cielito lindo, amigo despido de un sonido.
Corazón fuerte, miente peor que un marrete.
Quantos años he logrado sin perdón en el carrete.
Escuchame mi amor y no empiezes.

A pedir por lo que no soy, mientras desaparece.
Tu no sabes lo que soy, nada mas envejece.
Quanto tiempo no duermo, mis sueños ya no aparecen.
Dios mio que calor, tu alma se congela en el campestre.
No digas que ya no soy, el dia amanece.

DESPERTARIA.

Convenhamos que o amor já passe por um lado.
Um lado desconhecido e estranho.
Uns sentidos tão distintos, pacatos.
Foi-se o tempo do romantismo, da conquista, da ternura.

Entra o tempo da amargura.
Frio? Não, impiedoso.
Aos fracos não resta vez, não resta sensatez.
Onde um dia ocorreu confinamento, não passa de mais um tempo.

Qualquer que seja o invento.
Para trás então o contentamento.
Acordaremos quem sabe um dia.
E nos olharemos bem para dentro.

Aconteceu um dia.
Já não tenho mais sentimentos.
Então conheço Maria.
Não è quem eu pensaria.

Tento encontrar vinda adentro.
È, hoje não foi de novo meu dia.
E lá mais uma vez meu amigo diria.
Que a vida mudaria.

Até onde vamos imaginar.
Que um dia tua flor em mim despertaria.

EUQ O?

O quão bom seria imaginar se tudo fosse perfeito?
O que pensar que o justo fosse justo?
O que esperar da pessoa amada, o amor?
O que será despertar uma vida dentro de uma flor?

O que seria sentir dor, mesmo quando não existe dor?
O que imaginar ouvir, se não te interessou?
O que ver quando não vir e imaginar que já passou?
Então, o que é não viver o que se tem para viver, enquanto você ainda for você?

Não tente entender, ouvir, ver, despertar, ou desaparecer.
Apenas tente viver!
Tente viver!
Viver...

VOU VOLTAR.

Vou voltar, sei que ainda vou voltar.
Pra onde o tempo me levar.
Imagino como era antes, de implicar.
Constantemente vejo meu lugar, e sei ainda è lá.

Vou me encantar, tanto que nem me deixarei de imaginar.
Vou deitar na sombra de uma palmeira, que algum amor, talvez, possa espantar.
As noites que eu não queria, que anunciava o dia.
Vou voltar, para o meu lugar.

Não vai ser em vão que fiz tantos planos.
Como fiz enganos.
Como fiz estragos.
Fiz de tudo e nada.
De te esquecer.

SEGREDOS PARA VOCÊ.

Eu pensava que estava no tempo certo.
Minha mente dizia que existia algo entre eu e você.
A algo entre nós que eu vou revelar.
Minha mente diz que você è a escolhida.

Que estava no tempo certo.
Eu quero compartilhar um tipo de segredo com você.
Eu preciso mais de você do que qualquer um em minha vida.
Eu te quero mais que qualquer um em minha vida.

Eu sinto muito tua falta mais que qualquer um em minha vida.
Eu te amo mais que qualquer um na minha vida.
Existe um tipo de segredo que quero compartilhar com você.
Eu sinto tua falta mais que qualquer um em minha vida.
Eu te amo mais que qualquer um em minha vida.

O QUE RESISTE.

Um duelo de invenção.
O cemitério e uma canção.
Impetuoso o solo como a dor do perdão.
Abaixo a magia, no meio da claridade uma escuridão.

Sorria menina! Eu deixo minhas magoas lá no sertão.
Que bom! Ver-te novamente, mas não está muito intenso não.
Ah! Coisinha linda deixa-me beijar-te a mão.
Sussurra devagarzinho, mas não me engole não.

Desculpa! Hahaha... Senti um tremendo medo entre minhas mãos.
Maravilha agora deixa de um dia falar sermão.
Obrigado Deus, não foi fácil não.
Mastigo aquele pedaço de solidão, que me impedia de ser homemzão.

Jogo-me nos teus seios, me desculpa então.
Pensei como foi difícil largar o instinto de bebezão.
Entregam-se mais um pouquinho, ou arrependimento vira senão.
Que coisa difícil irmão.

È a vida que escolhi para mim paixão.
È difícil, mas que caminho tem solução?
Entendi, viverei para sempre grandes irmãos.
Estupendamente, dentro de seus corações.

Os amarei sempre...
Uma decisão difícil pra quem sente.
Entre milhões e milhões, somos descendentes.
Os amarei sempre... Sempre...

CONFESSO.

Se você vier, eu vou saber.
O tanto triste que ela ficou comigo.
Só assim eu saberei, confesso!
O que você quer o que se passa dentro daquela mulher.

Pode até ter sentido um pouco de prazer, mas no amor, vai muito assim.
Se você quer mesmo saber por que ela ficou comigo.
Eu ainda não sei se mereço.
Ainda penso como se fosse um segundo qualquer.

E soube que antes de mim, não foi você quem queria saber.
O que queria realmente comigo.
As noites de alucinação, agora não è comigo não.
Se ainda tenho seu interesse, confesso! Não sei.

Penso quando passeei pela catedral, olhei pra você, mas não sabia o que dizer.
O amor vai morrer assim, não foi você quem quis saber de mim.
As nossas noites são feito oração na catedral, não duram uma noite se quer.
Com outros homens, ela só pensa em se exibir, e ate fingiu sentir prazer.

O outro dia me perguntei, confesso! Será que o amor vai longe assim?
Confesso! Foi você quem não quis saber de mim...

DESORDEM.

Ah! Se já perdemos a noção da hora.
Tudo jogamos fora.
Como partir?
Ao te conhecer, dei pra sonhar e rompi desafios.

As noites eternas já confundiram nossas pernas.
Tornou nossa sorte um perdão.
Como? Se na bagunça do teu coração, o meu sapato ainda roça no teu.
Amamo-nos feito dois pagãos.

Achei que estivestes te fazendo de tonta.
Mas na realidade, eu não me dei conta.
Chegou a hora, e eu te vi partir.
Ah! Se já jogamos tudo fora.

Eu já não sei qual e a hora.
Não sei por que te vi partir.
Se juntos já jogamos tudo fora.
Agora me conta como hei de partir.

Ao te conhecer, rompi com o mundo e deixei de lado meus desafios.
As noites eternas confundiram tanto as nossas pernas.
E agora, eu devo seguir...
Deixaste-me no chão.

Graças a bagunça do teu coração.
Como? Se te amei sem ter te partido.
Meu coração agora a de se perder.
Ah! Já perdestes a noção da hora...

ATÉ PARTIR.

Você lembra como eu era?
Eu realizava todos os nossos sonhos.
Eu não tinha idéia de quanto custava.
A minha vida toda passou diante dos meus olhos.

Então não me pergunte mais sobre meus amigos.
Eu também não entendo tudo.
Sorria pra mim e desista disso.
A todo o mundo, a todos meus amigos.

Eu repartilharei meus últimos momentos
Até partir...
Eu sei que isso não tem correção.
Mas lembre-se que fui eu quem moveu as coisas simples.

Você sempre se incomodou.
Mas saiba que a todo o mundo e a todos meus amigos.
Compartilharei, e me dedicarei.
Até partir...

VIVEREI, VEREI...

Imagino um mundo possuído.
Onde não possamos chegar a lugar algum.
Imaginando todas as pessoas.
Desejando um vôo sem volta.

Esperando que não tenha paraíso.
Apenas solto no meio de borbulhas sobre o céu.
Despertando viver um dia, sem receio de ter sonhos.
Unindo o conjunto de idéias, que não me movam como louco.

Imagine se as pessoas deixassem de querer o mundo.
Eu já não seria o único.
Mas não vou deixar de tentar.
Mesmo que demore.

Viverei sem pensar no dia anterior.
Sinto muito pela viagem e pela dor.
Nunca mais me deixarei ser levado sem pudor.
Apreciarei meus dias independente de sua cor.
Amores superaram a ida da minha flor...