Considerações aos leitores.

Uma janela de minha vida está aqui, nada mais é que uma simples forma de expressão. Poesias e momentos atuais serão postados. As portas estão abertas para todos vocês.


Muito grato pela visita.



Rafael Echeverria.


segunda-feira, 9 de maio de 2011

CRESCIMENTO.


Gosto de vislumbrar muitas coisas.
Aproveitar e gozar muito a vida.
Sem motivo.
Apenas para o crescimento.

Agora sim, é viver o que há para viver!
Vamos indeferir... Interagir...
Vamos permitir... Seguir...
Não vou mais precisar pedir.

Eu sou o momento...
Feliz, triste, fugaz, eficaz...
Monumento de dor, alegria...
Vou impor no coração um pouco de paz.

No meu mundo não haverá certezas.
Não haverá pessoas maltratando umas as outras.
Não haverá nada, não haverá nada...
Nem mentiras, nem verdades.
Vou apenas tratar de ser, viver, crescer...

POBRE VIDA.


Andei analisando ela.
Vejo nos seus olhos um pedido de socorro muito claro.
Tratam-na como se fosse um ralo.
Onde correm todas as impurezas, incertezas...

Eu imagino o quanto se decepciona.
Ela é digna, única, importante, iluminada!
Como podem fazer isso com ela?
É bom cuidar bem dela, ou irás perder-la.

Eu sei, é verdade... Tem suas fraquezas.
Mas nem por isso, é bom fazer-la de despreza.
Hoje a vejo chorando, gritando...
È uma dureza!

Varias vezes senti vontade de perder-la.
Por não agüentar ver sua tristeza.
Mas quanta pobreza! Quanta pobreza...
Eis a vida, tratada a sua maneira.

SITUAÇÃO.


Eu vou continuar dividido.
Andando em voltas, varias voltas.
Vou mudar o rumo das coisas.
Eu terei o controle sobre minhas asas.

Essa situação anda descontrolada.
Ei... Ei!
Sinta-se boba, você finge que é amada.
Mas no fundo sabe que não tens nada!

Olhe para seus olhos...
Você anda desesperada!
Fica dando voltas e voltas no seu quarto.
Mas não tem como controlar essa situação.

Eu tenho meu próprio Deus.
Tenho minha própria dedicação.
Minha própria razão.
E uma própria situação.

VOLTA.


Não sei nada sobre amor.
Não sei mais sentir um beijo, e seu sabor.
Nada sei sobre os sonhos.
Mais nada...

Trata-me com cuidado.
Quero apenas ser simples como você.
Trate-me com cuidado.
Atravesse minha ponte como se fosse o único lugar a seguir.

Nunca pensei que o mundo fosse me dar uma chance.
E eu nunca, nunca confiei em alguém.
As pessoas sempre me deixavam.
Como se não fosse ninguém.

Por favor, senhor amor, volte para casa.
Para sua vida.
Não quero mudar seus planos.
Apenas não quero perder-lo de novo.

Sinta o beijo vindo dos meus lábios.
Tocando-o sem desistir.
Por favor, senhor amor.
Volte para casa, sem persistir...

O PERIGO.


Tão simples como uma rosa.
Eu não deixarei cair no chão.
Vem ao meu encontro.
Que te beijarei a mão.

Segue teu caminho, sem esquecer nossa canção.
Nossa vida um pergaminho, ou um jogo de gamão?
Darei a esperança, para meu coração.
Arrepender-me-ei, por dizer-te então.

Sinto muito com carinho e com afeto, por esta situação.
Não é fácil não.
Chega à saída, me aperta a razão.
Quero agarrar-te, não te deixar ir em vão.

De repente, senti está paixão.
Movida de pecado e tentação.
Sinônimo de dois jovens.
Que não ouvem, nem pensarão.
Muito perigoso, este caminho machuca uma mente e o coração.

CAMINHO DO CORAÇÃO.


Onde as pedras nos caminhos tornam-se pecados?
Onde o céu termina e se encontra derrotado.
Onde parariam os ventos que fazem a contramão?
Na sarjeta, junto com a escuridão.

Porque fazemos da vida uma complicação?
Não a motivos, nem razão.
Somos dignos de limitação?
Por meio de labirintos, estamos perdidos então.

Um dia encontrarei um sermão, para minha mente, por que se não...
Estarei sozinho diante a multidão.
Percorrerei caminhos até alcançar o chão.
Onde estão, ma manterei sem exceção.

Existem escalas de um paredão.
Uma batalha banhada a sangue e armação.
Impiedosa com carinho, e sem perdão.
Eis a estrada que leva direto ao meu coração.

APRENDE.


Desperdiçamos muitos momentos...
Fazemos outros acreditarem em nossas mentiras.
Contradizemos nossas próprias verdades.
Sem dó, nem piedade.

Coitado de quem acreditar.
Verdades são fáceis de imaginar.
Tenho pena do individuo que faz rimar.
Palavreado belo de uma boca sem seu par.

Infelizmente, desacredito no ser humano, no real.
Por que sei que o melhor dos meus sonhos, foi surreal.
Admito que ande perturbado, mas não é por mal.
Amanheci meio triste, achei que era o tal.

Existe algo dentro de mim, que se arrepende por não se entregar.
E outro por se entregar demais!
Mas o importante é que a vida é uma mistura de acontecimentos e crescimento...
E no final das contas, tudo é o que se aprende, arrepende-se...

terça-feira, 3 de maio de 2011

NASCE O SOL.


Dos sinais... O dia nasce.
Dos sinais... Dorme!
Calor, sim o calor! Faz sentir-me tão humano, chega a me causar dor.
A dor! Faz suar quem é tido como traidor.

Acreditem, são sinais vindos de uma flor.
Com suas espinhas, causa-nos tremor!
Com seu cheiro, fez de mim o amor.
Do amor! Fez o inferno derreter e o céu se compor!

Intenso é...
Intenso buscou...
Intenso amou...
Intenso ressuscitou.

Vasculha tua vida.
Encontra valor.
Perde uma via.
E volta para conquistar o sabor.

Hoje é o dia.
De quem jamais superou.
Amanhã será o dia...
Do Sol se recompor.

MEU FEITO.


De repente os sonhos, aparecem.
Mais mistérios, mais mistérios...
Impiedosos até o ultimo suspiro do meu corpo.
Meu peito fica dilacerado parecendo um defeito.

São coisas da mente, simples, sem freio...
Acreditamos em tantas bobagens, cogitamos tantos objetos.
São meros complementos de um ser feio!
Deixem de sonhar! Acreditem, somos imperfeitos!

Temos que aprender a lidar com miséria, mortes, guerras...
Onde está a beleza desses sonhos?
Onde está?
Ela abriu sua caixa de enfeite e correu sem jeito nos deixando a beira da falta do respeito!

Desculpem-me, mas sinceramente...
Palavreado duro o meu, único... Que rejeito!
Não se preocupem, eu sei, daremos jeito.
Esse é meu peito, aberto e com amor, eis meu feito.

EXCEÇÃO.


Hoje senti um sabor estranho na boca.
Minha sombra já não me acompanha como de costume.
Meu corpo não flutua como costumava.
Sinto que estou amanhecendo!

Reviverei momentos de gloria?
De aventuras, ternuras...?
Novos tempos... Sempre novos tempos.
Mas na realidade, gostaria de ter apenas o tempo!

Maldição! Impressiono-me assim? Tão fácil?!
Ou desisto mais rápido ainda?
Parece-me um labirinto, um labirinto mesmo!
Hoje quando levantei quebrei meu espelho.

Não tinha visto meu reflexo, era desespero!
Olha o que aconteceu, agora, ficarei de joelhos.
Este filme me recorda os tempos de coelho.
E hoje, entendo como fiz feio.

Encontrei uma tremenda escuridão.
Sem sentido, sem perdão...
Por favor, coração, te peço:
Abre-me está exceção.

DESEJOS.


São interpretadas da forma que quiser...
Espantadas ou relaxadas.
Uma beleza sem igual quando bem amadas.
Algo descomunal sem ao mínimo serem tocadas.

A pureza de suas almas no coração.
Destrincham como uma canção.
Transborda como a água que desce num paredão.
Linda, saborosa, cheia de tesão...

Ahh! É bela! Bela... Faz de ti meu doce.
Faz de ti o sal.
Faz de ti o cálice do vinho.
Faz em mim, um pouco de carinho!

Ahh! O carinho...
Um toque suave do seu corpo, grudadinho.
Nossos lábios encontram-se.
Perdidos como num pergaminho.

E os beijos? Ahh! Os beijos...
Nosso céu de desejos.
Calam-me quando sempre os vejo.
Ando meio perdido neste sonho, mas nem percebo.
Dos desejos...

APROVEITE-SE


Às vezes, invejo o invejável.
Às vezes, sinto que me traio.
Existem salvações, também existem estragos...
Pelo tanto que sofre um coração, dilacerado.

Uma pessoa cai do alto como se fosse de plástico.
Simplesmente desaba! O mundo desaba...
Atrocidades sejam de dentro, ou, de fora.
E eu, amanheço com desejo de ir embora.

Tenho sonhos como qualquer um.
Realizo uns, e outros, nem perto se quer.
Começo a saborear melhor está maré.
Com muita sorte e muita fé.

Meu ditado segue de pé.
Existem pessoas que me imaginam um mané.
Mas na realidade, sou feliz, acredite se quiser.
Eu uso apenas a copia da minha alma.
Então, aproveite-a enquanto der.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

NÃO SAI MAIS.


- Me perguntam se amei.
- Claro que sim.
- Dorme dentro de mim, amanhece também.
- Não vai embora, me persegue.

Amor! Ahh! Amor... Quão distante estás?
Se nem enferrujar és capaz!
O sabor é incapaz. Tenho pena do pobre rapaz.
Acha que o amor já não o envolve mais.

É! O amor é demais...
Perigoso, mas, tanto faz.
Quem já amou o deseja mais, ou, nunca mais.
È resistível, ou, irresistível.

Mas já não se faz mais.
Incrível o poder que ele nos atrai.
Envolve-nos como numa armadilha.
Não sai nunca mais...

QUEM SABE, SABE...


Aprende que o mínimo a se fazer, se faz.
Descobre o que nem uma princesa satisfaz.
Arrepende-te meu rapaz!
Esclarece teu coração do que és capaz.

Tantas perguntas medíocres, o mínimo que se espera é paz.
Muitas voltas ao mundo deixando tudo para trás.
É! Admito... Hoje as coisas são fugazes.
Ahhh! Se fosse um tempo atrás.

Desprezo! É consumismo demais!
Os sociais já não sabem mais.
Que o mundo feliz muitas vezes, distrai.
Quando menos esperamos alguém, nos trai.

Chamam isso de felicidade?
Ou curvam-se a infelicidade?
São muitas atrocidades... Desperta este brilho que ainda arde.
Me procura quando for um pouco mais tarde.
Por que quem sabe, sabe...

DEDICO


O espírito que em mim nasce. Floresce, cresce...
A harmonia que a numa pétala escorrega e, desaparece.
Dois pássaros que se encontram no céu, jamais esquecem.
Um leão predomina seu território, ele mata, se enfurece.

Minhas mãos escorregam pelos teus lindos cabelos.
Você finge, não merece.
Olho nos teus olhos, você vira e adormece.
Toco-te pela manhã, o sol amanhece.

Levanto de repente, sua pele umedece.
Suspirando de leve.
Meu coração estremece.
Suave como as nuvens, teus belos lábios me sucedem.

Vivamos o que a de viver.
Antes que nosso corpo decida, se esconder.
Não por medo, mas sim, por não conhecer.
Beijos, mil beijos... Dedicamos a mim, a você.