Considerações aos leitores.

Uma janela de minha vida está aqui, nada mais é que uma simples forma de expressão. Poesias e momentos atuais serão postados. As portas estão abertas para todos vocês.


Muito grato pela visita.



Rafael Echeverria.


quinta-feira, 13 de maio de 2010

CONTRASTE.

Nem tudo, nem nada, têm fim, ou se acaba.
Tudo que aparece, ou desaparece ou escapa.
Quando acreditamos que possuímos, não possuímos ou fomos possuídos.
Chegamos a conclusões que tudo vai bem, quando de repente, não vai.

Ilusionamos sobre o que queremos, mas que não nos querem.
Impressionamos a quem queremos, e que nunca nos mantiveram.
Convidamos os amigos e parentes, e, quase nunca aparecem.
Brigamos com o inimigo, que nunca è quem parece.

Desejamos amar sem perigo, mas não è o que acontece.
Perdoamos de um modo tão sofrido, e não sabemos se merecem.
Continuamos perdidos, nenhuma luz aparece.
Continuemos com o espírito atrevido.

Pra ver se o dia amanhece.
Transbordamos como o rio, numa plantação de rosa silvestre.
Perguntei ao meu tio, o que ele faria se soubesse.
Meio dia, o sol já ferve.

Um calor que nem se viu já não corro que nem pedestre.
Olhou pra mim, mas não sorriu, não conheço mais quem preste.
O pior já passou, viverei como se não soubesse.
O dia amanheceu, trabalhemos no campestre.

Meu amigo desapareceu, o encontrei em Budapeste.
Falha minha me equivoquei.
Ele se comprometeu, com a filha daquele mestre.

LEVANTE-SE.

Caso você perca sua mente, não se preocupe.
Deus vai mudar sua vida pra melhor.
Se você estiver precisando sentir alguém.
Deus vai ser seu amigo.

E caso você perca sua mente, não se preocupe.
Amor vai mudar sua vida, com certeza.
E se você quiser dar emoções.
Acorde e levante-se em nome do amor.

E caso você perca a mente.
Não se preocupe, Deus vai mudar sua vida pra melhor.
E se precisar sentir alguém.
Deus vai ser seu amigo.

Caso perca sua mente, não se preocupe.
Deus vai melhorar sua vida com certeza.
Se quer emoções, acorde e levante em nome do amor.

LEMBRANÇAS.

Meu amor, nossas viagens tão gostosas.
Tão amorosas, cheia de graça.
Que paz eu sentia ao teu lado.
Existem dias que eu me sinto muito só.

Meu amor, desde a raiz, o teu som è o primeiro que me diz.
O quanto sinto falta de tocar teus quadris.
Eu tenho saudades da nossa canção.
Saudade do tamanho de um caminhão, meu amor.

Eu acho que vou desligar, por que as fichas já vão terminar.
Nossa tarde naquela praia, você me chamando pra sua laia.
Pegou-me de surpresa, mas quase desmaia
Teu pai a caminho e você pedindo que saia

O tempo não volta, e ainda a quem contraia.
Meu susto foi tão de repente, pareceu o de uma serpente.
A vida è pra quem sente.
Saudade hoje e sempre.

Um beijo no coração, seguido do abração.
Suspirando tua paixão, teu suor escorre na minha mão.
Meus olhos te entregam sem razão, teus cabelos seduzem até um anão.
Tua boca hipnotiza sem sermão.
Saudades que não tem fim não.

EXCEÇÕES.

Desabafo por que nasci assim.
Acredito na historia sem fim.
Desacreditei quando ouvi reclamar de mim.
Ralei a procura de algo que estivesse afim.

Não te agradei, mais você sim a mim.
Que coisa! Vacilamos, mas a vida è assim.
Não tem mais perdão, duvidei do meu caráter sim.
Acorda! Nada è em vão.

Hoje, faremos um mutirão.
E juntos, venceremos então.
Depois, não vai dizer que te deixei na mão.
Lembra daquela conversa, amigo chorão?

È, nenhum dos dois tinha razão.
O que rompe pilastra, è a lei da atração.
E quem maltrata è o coração.
Quem não quis ser inesquecível?

Já precisei, mas não desejo mais não.
Foi-se tempo de paixão.
Passou, não repito mais não.
È triste magoa não cura não.

Sorte de quem aproveitou então.
Imagina a cara dela agora, me chamando de sem noção.
Admirei sua preciosa decisão.
Mas com o coração, não se brinca não.

Não são muitos, que aceitam o perdão.
Hoje, já deixei de ser exceção.
Muito cuidado, olha o tropeção.

PRA MOTIVAÇÃO.

Certas incertezas são eternas.
Tais eternidades nunca existiram.
Pesadelos não superam os sonhos.
A vontade nos faz viver bem.

Adaptação nos estica sem razão.
Mais um motivo para ter motivação.
È amigo, não è mole não.
Mas não perde esperança não.

Isso è só o principio da contra mão.
Imagina que desperdício seria então.
Um casal sempre segurando a mão.
Será só isso, paixão?

Olha pra trás, como terminou adão.
Eva não deu mole não.
Ela te pede uma maca, e te troca por um pão.
Que situação!
Vou tirar um cochilo, mas não me acorda não.

VOCÊS.

O meu pai um grande homem.
Meus irmãos meus grandes heróis.
Minha mãe minha musa.
Meus sonhos andam descalços.

No meio de um povo encantado.
Sustentado de trabalho.
Imaginando o inevitável.
Distancia sofrida, a um minuto do vôo falado.

Muito tempo sem encontrar-nos.
Continuo sendo o mal criado.
Brigas no meio de um mundo entrelaçado.
Perguntei ao meu tão falado.

Ego dilacerado.
Ocorreu-me de calar os desembestados.
Onde jamais serão elevados.
De um amor louvável.

Onde seja, o que for.
A família todo amor será depositado.
Graças a Deus, eu não sou menosprezado.
Agradeço a vocês, por guardarem o meu pecado.
Um beijo mais uma vez, eis o meu recado.

AOS AMIGOS.

Aos meus amigos, resta o que me sobrou.
Aos meus amigos, muita festa e rock in roll.
Aos meus amigos, um amor que nunca terminou.
Aos meus amigos, a grande pessoa que em mim ficou.

Aos meus amigos, sintonia que funcionou.
Aos meus amigos, felicidade sim, cultivou.
Aos meus amigos, fraternidade me empolgou.
Aos meus amigos, simplicidade me elevou.

Aos meus amigos, nem uma rocha perfurou.
Aos meus amigos, meu pedido interessou.
Aos meus amigos, o sofrimento ultrapassou.
Aos meus amigos, sinceridade motivou.

Aos meus amigos, intensidade me marcou.
Aos meus amigos, deixar-me sofrer, não colou.
Aos meus amigos, briguem comigo, merecendo estou.
Aos meus amigos, aproveitar com eles melhorou.

Aos meus amigos, maturidade semeou.
Aos meus amigos, agradecido estou.
Aos meus amigos...

ANTES, AGORA E DEPOIS.

Lembro-me de como era antigamente.
Uma inocência que só vendo...
Que olhos tão lindos, inesquecíveis.
Brincadeiras e aventuras intermináveis.

Paixão a flor da pele, contagiantes.
Alegria estampada, sem infidelidades.
Vontade de batalhar juntos em fraternidade.
Minha amiga companheira deixou de lado sua vontade.

Imaginar promessas de amor, instáveis.
Tristeza sem dores curáveis.
Um adeus e tudo terminaram em individualidade.
Doa quem doer, não passou de imaturidade.

Lagrimas de quem sofreu, parece que nada foi de verdade.
Jamais tomarás o que è meu, imunidade.
Meu trajeto me favoreceu pela humildade.
O mundo me agradeceu eventualidade.

Agora que sou eu, te conto minha verdade.
Não sabe o que perdeu amor pra toda eternidade.
Libertei-me de um ateu, adeus saudade.
Estranhei uma ligação, por vaidade.

Não me conheceria melhor, se não fosse a liberdade.
O plano mudou, não tinha muita idade.
Vou ganhar o meu céu.
Muito amor espalhará pela cidade.

VAI OUTRA?

Incrível como tudo na vida muda de rumo.
Uma batalha perdida, outra vencida.
Tudo muda pessoas, atitudes...
E o principal, elas absolvem algo.

Tanto pelo bem, quanto o mal.
Mas absolvem.
Absolvido? Alguém se sente assim?
Estranho essa sensação.

Algo dentro de você te consumir.
Parece que não è controlável, e realmente não é.
Muito complicado pra entender, hein?!
Mas muito pior que não entender è fingir que não quer ver para tentar entender.

Que coisa maluca!
Fazer o que agora?
O que procurar, ou encontrar?
È a vida.

Vivenciada de uma forma que nem mesmo temos controle.
Que vida! Ah! Vida...
Que tal outra dessa?